Facebook Clic BetimTwitter Clic BetimYoutube Clic Betim

Sábado, 22 Julho 2017 | Login

Câmara aprova, e Guarda Municipal irá portar armas

Câmara aprova, e Guarda Municipal irá portar armas Previsão é que os guardas municipais estejam armados no primeiro semestre de 2016

Vereadores autorizaram por unanimidade a alteração do estatuto da corporação que prevê o armamento; custo estimado do processo é de quase R$ 500 mil.

A Guarda Municipal de Betim irá portar armas. Na última terça-feira (1º), os vereadores aprovaram, por unanimidade, o projeto de lei que altera o estatuto da corporação e autoriza que os guardas municipais possam andar armados. A votação, que aconteceu em caráter de urgência, teve o placar de 21 votos a favor e nenhum contra.

A previsão da prefeitura é que até o fim do primeiro semestre de 2016 os guardas já estejam portando armas. Para isso, precisará ser contratada uma empresa que irá fazer o treinamento e preparar o efetivo de 177 funcionários da corporação. Mas o problema é que a prefeitura ainda não dispõe da verba total para realizar o processo. O custo estimado de implantação do armamento é de quase R$ 500 mil.

Em entrevista recente, o secretário municipal de Segurança Pública, Luis Flávio Sapori, disse que parte dessa verba será oriunda do orçamento de 2016, que o restante virá de contrapartidas de empresas. No entanto, ele não esclareceu quanto cada um irá investir e nem quais empresas irão contribuir para o processo.

A declaração foi dada por Sapori durante audiência realizada no mês de agosto pela Câmara para debater o projeto antes que ele fosse à votação. Segundo a prefeitura, o cronograma de aplicação desses recursos ainda não foi definido, tanto na parte que compete à prefeitura, quanto na parte que compete à iniciativa privada. “O valor que competirá a cada parte dependerá das contrapartidas privadas que ocorrerão em Betim ao longo do segundo semestre”.

O subinspetor da Guarda Municipal, Anderson Reis, defendeu o armamento e afirmou que a medida irá contribuir para melhorar a segurança. “É uma ferramenta que a gente terá, e esse processo será feito da forma que garanta a melhor prestação do serviço. Os guardas vão passar por exames psicológicos, de tiros que serão aplicados por uma empresa contratada. Os que forem reprovados serão reavaliados”, disse.

Serão adquiridas 50 pistolas calibre .380 e cinco escopetas. Segundo Reis, primeiro será realizado um estudo com base em estatísticas para saber os locais onde precisarão de mais guardas com armamento letal. “Só assim, iremos dividir esas armas entre o efetivo, já que há uma escala de serviço. Claro que não serão todos os lugares que irão ter guardas armados, pois não temos condições para isso”, completou Reis.

O Exército Brasileiro terá que vir a Betim para avaliar o local onde as armas serão guardadas, além de avaliar outras questões referentes ao armamento. Além da alteração no estatuto da corporação, também foi aprovado um projeto de lei que autoriza a liberação de até R$ 16 mil para que dois guardas façam o curso de Formação de Instrutor de Armas Policiais. “Todos os guardas vão fazer o treinamento, mas esses dois vão se tornar especialistas em tiro”, explicou o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais de Minas Gerais (Sind-Guarda), Pedro Bueno.

Ainda segundo ele, o treinamento será rigoroso. “É uma formação diferente, pois os guardas serão treinados com 600 tiros. Nas outras esferas policiais, são 90. Além disso, a cada dois anos, eles vão ser submetidos a novo exame psicotécnico”, disse Bueno, que completou dizendo que a Secretaria de Estado de Defesa Social vai disponibilizar estandes para treinamento dos profissionais.

Repercussão

Em 27 de maio, um tiroteio dentro da Unidade de Atendimento Imediato (UAI) do Jardim Teresópolis acelerou o processo para armar a Guarda Municipal. Logo após o crime, o secretário municipal de Segurança, Luis Flávio Sapori, se reuniu com o Sind-Guarda e pediu um cronograma para implantar a guarda armada no município.

Na Câmara, os vereadores que aprovaram o armamento disseram que a medida deve ajudar a diminuir a violência, mas afirmaram que é preciso muita atenção nesse processo.
“A empresa que irá fazer o treinamento dos guardas tem que ser gabaritada e reconhecida. Terá que ter critérios muito bem explicados no edital de licitação para escolher essa empresa”, afirmou o vereador Klebinho Rezende (PTB). “A violência está em uma crescente e esperamos que essa medida possa contribuir para inibir esse crescimento”, acrescentou.

“Acho que a Câmara refletiu bem esse assunto, mas espero que o município leve esse processo muito a sério, que prepare bem os guardas, para que o armamento não se volte contra eles nem contra a população”, acrescentou o petista Antônio Carlos.

Para o especialista em segurança pública, Jorge Tassi, se a guarda for armada e bem-treinada, o resultado dessa medida é bastante positivo. “Precisará contar com a estrutura de um estande de tiro, que é caro, e comprar armas de fogo e munição. Depois de capacitada, a guarda precisará ainda fazer um treinamento anual.”


Compartilhe  compartilhe

botao_facebook botao_twitter botao_google

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar